Estado Vegetativo

Estado Vegetativo é um estado onde o paciente não mostra nenhuma atividade do córtex cerebral: linguagem, movimento voluntário, etc. O paciente pode ter os olhos abertos, ainda que não mantenha o olhar aos estímulos complexos, e pode manter os ciclos vigilia-sono. Não existe evidência de que nesse estado haja interação com o meio.

Em geral o Estado Vegetativo se produz pelo estado de coma ocasionado por traumatismos cranianos, mas pode estar presente também em crianças com anencefalia ou em adultos por agravamento de processos degenerativos (enfermedade de Alzheimer, etc).

O cérebro humano funciona em diferentes níveis de consciência, no mais alto deles, está o estado de alerta, pronto para responder rapidamente às mais variadas exigências. Quando o cérebro deixa de responder, diz-se que chegou ao estado de coma, o último estágio antes da morte. Mesmo assim, o indivíduo comatoso pode recuperar-se e sair do coma num prazo que pode variar de dias a anos.

Embora em coma o indivíduo pareça adormecido, o cérebro de quem dorme, ao contrário do comatoso, tem condições de responder rapidamente a estímulos e atingir em instantes um estado de alerta máximo. Mas não se pode afirmar com certeza até que ponto um paciente em coma não ouve ou não tem noção do que acontece à sua volta. O indivíduo pode estar incapaz de falar ou mover-se, mas isso apenas quer dizer que aqueles que o cercam não sabem se ele pode ver, ouvir ou compreender o que se passa.

Alguns pacientes em coma podem de fato ficar totalmente alheios ao que acontece, mas outros podem perceber a própria situação, sem que se possa atestar isso, pois não conseguem se comunicar. Assim, o coma seria um estado em que a pessoa não responde a estímulos, aparenta estar inconsciente e não pode ser despertada. Em alguns casos, o paciente não responde a movimentos ou à linguagem, em outros, pode mover-se, fazer barulhos ou reagir à dor.

O coma não é uma doença, é um sintoma de uma doença ou uma resposta a um acidente, como uma lesão no cérebro, um problema metabólico, um ataque súbito, uma convulsão. Muitos comas não duram mais do que quatro semanas. Algumas pessoas em coma mantêm-se num Estado Vegetativo em que respiram, digerem e eliminam alimentos e têm pressão sangüínea normal, sem que se dêem conta disso.

O Estado Vegetativo pode durar anos ou mesmo décadas. O fim do coma pode variar entre a recuperação total e a morte. Se o paciente vai se recuperar e até que ponto se recuperará, depende da causa do coma e da extensão dos danos causados ao cérebro.