Craving ou Fissura

Desde a década de 1980, o foco no diagnóstico de Dependência Química deslocou-se gradualmente de sinais de tolerância e abstinência para a observação do comportamento do dependente. Com isso ganhou importância os conceitos de Fissura, de perda de controle, e de manutenção do comportamento. A Fissura recebeu maior atenção como um fenômeno crítico e típico da dependência, sendo definida como o desejo ou a memória de uma experiência agradável sobreposta a um estado afetivo negativo do indivíduo.

O temperamento, uma das dimensões da personalidade, também ganhou importância nos estudos sobre dependência, sendo definido como a diferença individual dos comportamentos frente às motivações. Atualmente a Fissura é um fenômeno central nas dependências, e os fatores do temperamento também são importantes para a adição ao jogo e outras patologias.

Craving ou, em português, Fissura, é a mudança no comportamento devido a uma necessidade imperiosa de uma substância psicoativa ou de seus efeitos intoxicantes. O Craving é um termo popular usado para o mecanismo que se supõe estar na base do controle do impulso do dependente químico. Alguns acreditam que esse desejo aumente, pelo menos parcialmente, como resultado de associações condicionadas que evocam respostas de abstinência condicionada.

A cocaína apresenta algumas características diferentes em relação a outras drogas de dependência, como a intensa propriedade de reforço do consumo associada à sintomatologia de abstinência. Apesar de os sintomas da abstinência de cocaína serem pouco específicos, o potencial de reforço parece ser responsável pelo intenso desejo de consumo na abstinência, que é a Fissura ou Craving, responsável maior pelas recaídas durante o tratamento.